NOTÍCIAS

Ato Cívico e desfile em Sorocaba marcam homenagem à Revolução Constitucionalista de 1932

Um ato cívico na Praça 9 de Julho, região central da cidade, marcou as homenagens à Revolução Constitucionalista de 1932, na manhã deste sábado (9). O evento, realizado pela Polícia Militar (PM) e com o apoio Prefeitura de Sorocaba, contou, ainda, com desfile de tropas de forças de segurança da cidade, grupos escoteiros e de jipe clubes, ao som da Banda Regimental do Comando de Policiamento do Interior (CPI-7).

“Um ato, como este, emociona a todos, sobretudo, vendo tanta gente reunida para prestigiar. É muito importante esse resgate histórico e termos esse espírito de cidadania, sempre presente no nosso dia a dia. Um momento muito significativo e fundamental na formação da cidadania”, destacou o secretário de Segurança Urbana (Sesu), Coronel Vitor Gumão, que representou o prefeito Rodrigo Manga na ocasião, acompanhado do secretário da Cultura, Luiz Antonio Zamuner.

O ato englobou a apresentação das tropas, hasteamento de bandeiras, deposição de arranjo de flores no Monumento ao Soldado Constitucionalista e desfile a pé e motorizado em trecho da Avenida Dr. Eugênio Salerno, via cujo tráfego foi interrompido momentaneamente para o evento e acompanhado por agentes de trânsito da Urbes – Trânsito e Transportes.

Entre as autoridades presentes, estiveram o Comandante da Guarda Civil Municipal (GCM) de Sorocaba, Henrique de Agrella; o vereador Luís Santos; o diretor do Centro Tecnológico da Marinha (Aramar), Capitão de Mar Guerra Luís Cláudio Farina; o Capitão de Fragata Fuzileiro Naval, Luiz Antônio Dias do Carmo, do Batalhão de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica de Aramar; o delegado Weldon Carlos da Costa, do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior (Deinter-7); o Tenente-coronel João Roberto Corrêa Alves de Souza, Subcomandante da Base de Apoio Regional do Exército em Sorocaba; o Comandante do Tiro de Guerra de Sorocaba, Maguinaldo Lima Barbosa; o Tenente-Coronel Glauco Rogério Ribeiro Alves, à frente do CPI-7; o Major Douglas Ribeiro Alves, Comandante interino do 7º Balalhão da PM de Sorocaba (7º BPMI); o promotor de Justiça Capitão PM Adair Alves Filho, representando a Sociedade Amigos da Marinha (Soamar); Arlindo Rafael Monteiro, diretor da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg); o diretor do Gabinete de Leitura Sorocabano, Capitão João Brotas; o comissário do 40º Distrito de Escoteiro, João Augusto e o comissário-adjunto do 20º Distrito de Escoteiro, Randal Gonçalves.

“Esse evento reforça a força do movimento civilista e mantém vivo o ideal democrático paulista. Um momento para relembrar feitos, valores e o legado daqueles que contribuíram e participaram da revolução Constitucionalista de 1932, que foi um marco histórico na construção do Estado de São Paulo e na formação da nação brasileira”, disse o historiador e presidente do Sorocaba Clube, Benedito Maciel. Representando o Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba (IHGGS), coube a ele fazer o discurso principal durante o ato.

Enquanto as tropas passavam pela avenida, o empresário Márcio Celso Haddad, 37 anos, mostrava cada detalhe para a filha, Helena de um ano de idade. “Cresci participando de eventos assim e, agora, a trouxe também. É um dever cívico não apenas estudar esse conteúdo na escola, como vivenciá-lo no presente e, nesse sentido, nada melhor do que conhecer o passado, a história”, disse ele, com a filha em seus ombros, para melhor assistir ao desfile.

Para a escoteira Emanuelle, 11 anos, o ato teve um sabor especial, pois foi sua primeira participação em desfile cívico. “Achei muito legal, pois deu para interagir com muita gente”, falou, após se juntar ao pai, Wilson Pedro, 45 anos, à mãe Érica Cristina, 41 anos, e ao irmão Miguel, um ano, que prestigiaram todo o evento. “Tudo muito organizado. Os realizadores estão de parabéns”, complementou a mãe da menina.