NOTÍCIAS

Coordenadoria Técnica de Vigilância em Saúde aponta crescimento de 26% no número de casos de dengue na capital

O crescimento do número de casos de dengue em Cuiabá aponta um cenário preocupante. Dados da Coordenadoria Técnica de Vigilância em Saúde apontam que de janeiro a junho de 2022 foram registrados 564 casos confirmados de dengue no município. No mesmo período de 2021, foram 446 casos confirmados, o que representa um aumento de 26,4%.

De acordo com o responsável técnico do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Daniel Silveira Cintra, a conscientização da população é de primordial importância para que os números de notificações diminuam, já que o período chuvoso se aproxima.

“O mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue e outras doenças, infelizmente ainda é encontrado em todos os bairros da capital, mas principalmente naqueles  mais afastados do centro da cidade”, pontuou Cintra.

 

Ainda conforme Cintra, diversas ações estão sendo desenvolvidas pelo CCZ para combater a proliferação dos mosquitos na capital. “Nossos agentes visitam quinzenalmente os locais com possível concentração de criadouros do Aedes, como é o caso das borracharias, estacionamentos de carros, sucatões e cemitérios, e caso venham a dar positivo na coleta das larvas,  recebem um veneno orgânico”, explicou Daniel.

 

Dados divulgados no LIRAa (Levantamento de Índice Rápido de Aedes Aegypt) de 2022 apontam os bairros com maior quantidade de larvas do mosquito: Jardim Liberdade, Jardim Fortaleza, Assentamento Mirante do Parque, St. Laura 2, Residencial Aricá, Santa Laura 1, Manduri. São Sebastião. Residencial Avelino, L. Barros, Pascoal Ramos, Residencial Nilce P. Barros. Residencial Alice Novack, Rec. Do Sol, Res. Belita Costa Marques, Residencial Salvador Costa Marques, Cond. Mr.Rondon e Residencial Águas Claras.

 

Fique atento

Combater a dengue não tem segredo. O combate do mosquito é feito com o manejo do ambiente, com a remoção de tudo o que acumule água, como fechar as caixas d’água, manter a limpeza dos pratos de plantas, virar as garrafas para baixo e criar uma rotina de prevenção.

Para denunciar situações basta entrar em contato com a CCZ em horário comercial, de segunda a sexta-feira, através do telefone: (65) 3617-1680.