NOTÍCIAS

Espaço de Acolhimento da Mulher celebra 2 anos de atuação no Hospital Municipal de Cuiabá

O primeiro Espaço de Acolhimento às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica completou dois anos de funcionamento no sábado (16) e se tornou referência em todo o país. No espaço, as vítimas podem buscar por assistência integral, de segunda a segunda, 24 horas por dia e conta com uma equipe multidisciplinar. 

 

De acordo com a coordenadora do Espaço, Thayssa Ferraz, o atendimento para as mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, tem servido também para ações preventivas como denúncias contra agressores. Dos 282 atendimentos registrados no ano passado, 67 foram de mulheres que fizeram denúncias de forma espontânea. 

 

“Este local, dentro de um hospital público é uma referência na nossa rede de atendimento, pois concentra em um único local acolhimento e escuta qualificada, além de suporte jurídico e de proteção”, explica. 

 

Neste ano de 2022, foram feitos 679 atendimentos, sendo realizado o acompanhamento de 27 crianças e 172 mulheres, até o momento. 

 

Para a secretária Municipal da Mulher, Cely Almeida, mesmo durante o auge da pandemia, no período de maior rigidez nas restrições de convívio social, as mulheres vítimas de violência doméstica contaram com a assistência integral da sala, localizada no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). 

 

“Quebrar o ciclo de violência é uma decisão muito difícil, e a administração pública precisa se fazer presente tanto para informar mulheres e incentivar esta atitude, como para acolher e fortalecer as vítimas deste reflexo do machismo estrutural. Por isso em suas palestras, Maria da Penha sempre destacava a importância de ter um espaço para o atendimento específico e imediato da mulher vitimada, o que nossa primeira-dama, Márcia Pinheiro, atendeu de prontidão”, afirma.

 

Para a primeira-dama, Márcia Pinheiro, o Espaço de Acolhimento da Mulher, mostra a importância deste equipamento público no combate à violência doméstica e familiar, de forma humanizada e célere. 

 

“Quando recebi esse pedido da ativista Maria da Penha, não pensei duas vezes em colocar no papel e entregar para as mulheres um espaço humanizado que iria funcionar 24 horas por dia dentro de um hospital público. Foi um grande desafio e uma grande honra. O resultado que conquistamos mostra a sensibilidade desta gestão humanizada que desenvolve efetivamente políticas públicas que defendem as mulheres”, pontua. 

 

O Espaço da Mulher, funciona 24 horas por dia, conta com sala de acolhimento infantil, sala de aconchego, sala para atendimento médico, além de recepção e banheiros. Os atendimentos são realizados por uma equipe multidisciplinar composta por psicólogas e assistentes sociais, totalizando 12 profissionais atuando diretamente, além de uma coordenação. 

 

A criação da segunda unidade do Espaço de Acolhimento da Mulher, será situado na nova Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do bairro Jardim Leblon, que atualmente está com 90% das obras concluídas e deve ser entregue nos próximos meses.