Uncategorized

Docentes do IFSP participam de projeto da Chamada Grand Challenges Brazil   – IFSP

Pesquisa foi financiada por Ministério da Saúde, Fundação Bill e Melinda Gates e CNPq 

Os professores do Campus Campinas do IFSP Carlos Beluzo e Everton Silva fazem parte da equipe de pesquisadores de um dos dez projetos finalistas da Chamada Grand Challenges Brazil Malária, financiados pelo Ministério da Saúde em parceria com a Fundação Bill & Melinda Gates e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os resultados da pesquisa, que visa contribuir para o aprimoramento da vigilância epidemiológica da malária na região da Amazônia brasileira, foram apresentados na última semana.  

Distribuição de casos de malária importados e autóctones para o município e ano selecionado.O projeto, desenvolvido entre os anos de 2020 e 2023 na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), atendeu à chamada do Grand Challenges Brazil Malária 2019. O tema foi proposto após o Brasil notificar 194.271 casos de malária em 2018, dos quais 99% aconteceram na região amazônica. 

A pesquisa, intitulada “Ciência de dados aplicada em informações epidemiológicas e demográficas como estratégia para simulação e vigilância de casos de malária na Amazônia brasileira”, teve por objetivo o desenvolvimento de ferramentas de visualização de dados e um serviço de simulação de espalhamento de focos de malária baseado em métodos de aprendizado de máquinas, utilizando dados demográficos, epidemiológicos, climáticos e clínicos referentes à malária na Amazônia brasileira.  

As ferramentas serão disponibilizadas por meio de uma plataforma na web com ferramentas de suporte para administradores públicos. Toda a infraestrutura para a criação e a provisão da plataforma da web já foram desenvolvidas.  

A pesquisa, coordenada porLuciana Correia Alves, da Unicamp, aponta a gravidade dos casos da malária na Região Extra-Amazônica “uma vez que não existe um preparo adequado dos profissionais da saúde para diagnosticar a doença, e esse atraso no diagnóstico pode ser fatal”. Ela destaca que a grande maioria dos casos diagnosticados na região Extra-Amazônica são importados principalmente da Região Amazônica, “mostrando a importância em se prever e controlar a malária na Amazônia e a grande influência do trânsito de pessoas para essas áreas”.  

Carlos Beluzo, docente do IFSP e aluno de doutorado da Unicamp, explica que o produto final entregue foi a Plataforma de Visualização de Dados (PVD Malária). Trata-se de um sistema web que busca facilitar gestores, pesquisadores e público em geral a entender melhor sobre a infecção e disseminação da Malária na Amazônia Legal Brasileira. 

Taxas de incidência e de mortalidade de acordo com os grupos de idade, estados e ano de notificação na Amazônia Legal BrasileiraPor meio da plataforma é possível explorar diversas visualizações tanto estáticas quanto interativas e criar outras de acordo com as suas necessidades e interesses. A plataforma oferece também diversas informações demográficas, sociais e econômicas da região Amazônica e dos Estados que a compõem e um serviço interativo de análise de indicadores por meio de inteligência artificial. Além disso, um conjunto de projeções foram calculadas, o que possibilita uma antecipação do cenário futuro e serve como subsídio para a tomada de decisão. 

Este projeto, assim como os 69 já financiados por meio do desafio, terá uma grande contribuição para o sistema brasileiro de saúde , com potencial para se tornar global. 

Grupo de pesquisa 

O projeto desenvolvido na Unicamp foi coordenado pela docente da instituição Luciana Correia Alves e contou com a participação de Carlos Beluzo (IFSP), Bianca Cechetto Carlos (Unicamp), Jayme Augusto de Souza-Neto (Kansas State University), Everton Silva (IFSP), Tiago José de Carvalho (Inovia), Natália Martins Arruda (Unicamp), Vinícius de Souza Maia (Unicamp), Adriano Souza (Analista de Desenvolvimento Web) e Willianson Araújo (Cientista da Computação). 

Everton da Silva, docente do Campus Campinas do IFSP, fala sobre sua participação na pesquisa: “contribui para as etapas de limpeza e estruturação da base dados, análise exploratória dos dados e, principalmente, na criação de modelos de previsão do número de casos de malária”. Ele revela que os alunos do Instituto Federal também se beneficiaram do projeto do qual participou, apontando a orientação do trabalho de uma de suas alunas da pós-graduação sobre os modelos de previsão para avaliação de casos de malária na Amazônia Legal Brasileira.  

Saiba mais sobre o projeto aqui.

 

Grand Challenges Brazil Malária  

O desafio visa apoiar o desenvolvimento de pesquisas de cunho científico e/ou tecnológico relacionadas à prevenção, detecção e combate à Malária no Brasil, de forma a atingir os objetivos do Desenvolvimento Sustentável, alinhados aos programas de eliminação estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde, visando à melhoria das condições de saúde da população brasileira. 

Saiba mais sobre o desafio aqui. 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *